11 de julho de 2019

#DICA

Como é uma migração de seus Workloads On-Premises para Cloud?

Normalmente as fases de uma migração para a Cloud são divididas em:

– Análise dos Workloads para verificar os que se adequam facilmente ao uso de soluções de PaaS como por exemplo Web Applications em IaaS que podem usufruir do uso de PaaS com WebApp e Banco de Dados, onde se faz necessário apenas os ajustes de configuração do aplicativo e o Deploy para esse novo ambiente;

– Análise de Workloads para verificar os que se adequam facilmente ao uso de soluções de Containers, como pequenos ajustes para o Deploy em Containers no ambiente de Cloud;

– Configuração entre o ambiente On-Premise e a Cloud para a transferência via VPN, Internet ou Conexão Privada entre o ambiente On-Premise e a Cloud. Essa configuração é simples, sendo um pouco mais custosa se for escolhida a Conexão Privada (por exemplo Express Route do Azure, pois envolve a Operadora de Internet);

– Configurações da plataforma de Nuvem para receber os Workloads de seu ambiente On-Premise como Redes (VPC), Armazenamento (Storage, Blobs, Banco de Dados), PaaS (Como WebApp), Logs de Análises como o Azure Monitor ou o Stackdriver do Google;

– Migração controlada com testes de Workloads que estão em IaaS para uma solução IaaS de Cloud usando Appliances Virtuais que realizam a cópia dessas Máquinas Virtuais de ambientes On-Premise ou em Cloud para seu novo Player de Cloud, como o ASR do Azure, o Velostrata da Google;

– Acompanhamento de funcionamento de seus Workloads migrados para ajustes de segurança, otimização de uso e uma segunda etapa de transformação digital para usufruir ao máximo o uso de soluções PaaS da nuvem para Alta Disponibilidade, Resiliência, Elasticidade, entre outras vantagens que as plataformas oferecem.

Procure um parceiro de Cloud para te ajudar nessa sua jornada de Cloud!